quinta-feira, 30 de abril de 2009

É sentir-te


É sentir as nossas mãos unidas - timidamente, escondidas sob a carteira para que ninguém nos lance olhares julgadores -, os nossos dedos entrelaçados, num perfeito nó de sentimentos. É sentir as tuas mãos fortes e calejadas, os teus dedos finos e quentes a acariciarem os meus. É olhar-te de relance, com uma expressão de cumplicidade, como se a nossa manifestação de carinho de um acto pecaminoso se tratasse. É sentir-te retribuir essa lasciva cumplicidade. Roubas-me um sorriso e sorris para mim.

- Rui!, lê o poema, por favor.


Eu gosto muito de ti nas aulas de Português.

3 comentários:

  1. Obrigado pelo comentário.
    O meu problema até nem é não ser correspondida, é exactamente não saber se sou.

    Gostei do blog.

    Beijinho **

    ResponderEliminar
  2. Pois não. :S

    Eu por acaso gostava de saber se sim ou não, mas lá está, tenho medo.. :|

    **

    ResponderEliminar
  3. Amy obrigado por fazeres com que eu não tivesse perdido a cabeça e não me tivesse atirado de um penhasco abaixo rs
    ja não me sinto desesperada ahah

    p.s. tambem não sei nadar!
    p.s.1 como arroz quase todos os dias, adoro!

    ResponderEliminar